Bem Público - Conteudo para uma vida melhor
Facebook

Notícias - Leitura

13/02/2015

“Arrivederci amore, ciao” mostra a bandidagem italiana em livro

“Arrivederci amore, ciao” mostra a bandidagem italiana em livro
Massimo Carlotto.

A imagem da Itália tomada pelo crime organizado com viés político ou associada à máfia já foi mais do que explorada pela literatura e pelo cinema. Entretanto, ao lermos em um fôlego só “Arrivederci Amore, Ciao”, nos embrenhamos em uma narrativa politicamente incorreta e fora dos padrões. As vítimas não são lá tão inocentes e os vilões seduzem, sendo possível sentir claramente o inegável estilo da bandidagem à italiana em um enredo que cativa bem mais por um terror psicológico de primeira linha do que pelo lugar comum de cenas sangrentas contidas em violências vulgares. A ação é protagonizada bem mais por uma atmosfera discursiva do que pela construção imagética.

O livro conta a história de Giorgio Pellegrini, outrora militante de extrema esquerda que, após passar um longo tempo foragido pela América Latina a fim de não cumprir uma sentença de prisão perpétua, resolve retornar à pátria mãe em grande estilo, engendrado nas altas rodas políticas e econômicas. Entre os pontos altos, temos o plano de um assalto ambicioso que envolve redes criminosas internacionais, uma boate de strip-tease, damas de caráter dúbio, prostitutas e o grande vilão perigosamente carismático.

O personagem central, Giorgio,é um crápula que não age necessariamente por contingências e, ao contrário, sente prazer e se deleita tanto com a execução do ato mais abjeto até os golpes tolos e menores. Matar e entregar companheiros de luta, seduzir mulheres, extorqui-las, abandoná-las e tudo o maisque houver são situações com as quais nos deparamos diante de um vilão que não hesita em agir rápido e sem culpa no afã de atingir seu grande objetivo: forjar a imagem de um homem digno de respeitabilidade social.

O AUTOR - Massimo Carlotto nasceu em Pádua aos 22 de Julho de 1956. É escritor, dramaturgo e roteirista italiano. Foi descoberto pelo crítico literário e escritor GraziaCherchi e se lançou na literatura em 1995 com o romance Il Fuggiasco, publicado pela Edizioni E/O, rendendo o Prêmio Giovedi no ano seguinte. Após esse pontapé auspicioso, apresentou 15 outros romances, títulos para crianças, várias graphicnovels e muitas outras narrativas.

Quando jovem, Carlotto militou em um grupo revolucionário de extrema esquerda - o "Lotta Continua" – sendo injustamente condenado a 18 anos de reclusão após ter descoberto na porta da sua casa o corpo de uma jovem esfaqueada. Fugiu para o México, país no qual ficou foragido por três anos, foi capturado, torturado e deportado para a Itália onde permaneceu seis anos preso. Em 1993, ganhou o indulto presidencial e essa terrível trajetória consumiu dramaticamente sua vida, mas alimentou uma veia autoral elaborada em romances policiais carregados de temáticas atemporais e ritmos alucinantes.

Com títulos traduzidos em vários países e alguns adaptados para o cinema, escreve também peças de teatro, é roteirista de cinema e televisão além de colaborador em vários veículos de imprensa. Já recebeu os prêmios Grinzane Cavour–Piémont Noir, Grand Prix du Roman Noir e melhor filme estrangeiro do Festival de Cinema de Cognac pór L'Immense Obscurité de La Mort. É considerado por muitos críticos um dos mais importantes romancistas italianos de estética noir.

Serviço:
Arrivederci Amore, Ciao

Autor: Massimo Carlotto
Preço: R$ 29,90
Páginas: 144
Formato: 14 x 21

Ver mais notícias